Notícias

Excesso de fluor na água potável pode afetar a saúde humana

Contratos para Fornecimento de Água

Desde cedo, aprendemos na escola que o flúor é importante para nos ajudar a manter a saúde dos dentes. Mas você sabia que a presença dele em excesso, principalmente na água que você consome no dia a dia, pode ser prejudicial à saúde?

Desde cedo, aprendemos na escola que o flúor é importante para nos ajudar a manter a saúde dos dentes. Mas você sabia que a presença dele em excesso, principalmente na água que você consome no dia a dia, pode ser prejudicial à saúde?

Existe uma doença - fluorose dentária - que é caracterizada pelo surgimento de manchas no esmalte dos dentes, causada por exposição excessiva a altas concentrações de flúor durante o desenvolvimento da nossa dentição. Essa doença continua a evidenciar-se na fase adulta e, nos casos mais severos, pode levar à perda da estrutura dentária, ja que o esmalte do dente se torna hipomineralizado e mais poroso, ou seja, mais suscetível ao desgaste, podendo ocasionar sensibilidade dentária e/ou dor.

Além disso, a exposição excessiva ao flúor também pode aumentar a ocorrência de fratura óssea, particularmente em individuos que são propensos a acumular fluoreto nos ossos (por exemplo, pessoas com insuficiência renal).

Em 2015, o Ministério da Saúde divulgou que o Brasil possuía o segundo maior sistema de fluoretação de águas de abastecimento público do planeta, atrás apenas dos Estados Unidos. Somado a isso, vale destacar que boa parte dos produtos destinados a higiene bucal também possuem flúor, aumentando a exposição à substância.

Na época, algumas reportagens foram feitas em jornais de grande circulação no país, como foi o caso do Estadão, por exemplo, mostrando os problemas que o excesso do produto causava, como prejuízos na formação dentária de crianças de 0 a 12 anos, irritação gástrica, formação de manchas esbranquiçadas durante a fase de desenvolvimento dos dentes e o escurecimento gradativo dessas manchas ao longo dos anos.

No mesmo ano, a USP (Universidade de São Paulo) divulgou o resultado de uma pesquisa feita em 642 municípios paulistas, cujos resultados apontaram que três em cada dez amostras coletadas não atendiam ao parâmetro de obtenção do máximo benefício contra a cárie com o mínimo de risco de fluorose.

Portanto, tratar a água que bebemos e que oferecemos para nossos familiares, clientes e colaboradores é fundamental.

As nossas estações de tratamento contam com um desfluoretador, que reduz a quantidade de flúor da água, mantendo-a dentro dos parâmetros básicos para a água potável.

Conheça mais sobre nossos serviços.
Entre em contato conosco.